"A Informática Educativa Como Ferramenta De Suporte No Processso De Aprendizagem"

PROGRAMA NACIONAL DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL NA EDUCAÇÃO

PROGRAMA NACIONAL DE INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO (PROINFO) DO MINISTÉRIO DE EDUCAÇÃO

Pelo Decreto nº 6.300, de 12 de dezembro de 2007, intitula-se Programa Nacional de Tecnologia Educacional – ProInfo. O Proinfo Integrado é um programa de formação voltada para o uso didático-pedagógico das tecnologias da Informação e Comunicação no cotidiano nas escolas e à oferta de conteúdos e recursos multimídia e digitais oferecidos pelo MEC.

Dessa forma, o Ministério da Educação, por meio da SEED, atua como um agente de inovação tecnológica nos processos de ensino e aprendizagem, fomentando a incorporação das tecnologias de informação e comunicação (TIC’s) e das técnicas de educação a distância aos métodos didático – pedagógicos. Além disso, promove a pesquisa e o desenvolvimento voltados para a introdução de novos conceitos e práticas nas escolas públicas brasileiras.

O Programa Nacional de Informação Nacional de Informática na Educação – PROINFO, acredita e tem ciência que “O acesso à informática deve ser visto como um direito e, portanto, nas escolas públicas o estudante deve poder usufruir de uma educação que no momento atual inclua, no mínimo, uma alfabetização tecnológica”. Tal alfabetização deve ser vista não como um curso de Informática, mas sim, como um aprender a ler essa nova mídia bem como a formação continuada dos professores para o uso pedagógico das tecnologias de informação e comunicação.

PRINCIPAIS AÇÕES DO PROGRAMA (PROINFO):

a) A inclusão digital de professores e gestores de escolas públicas da educação básica e comunidade em geral;

b) A dinamizar e qualificar os processos de ensino e de aprendizagem (para melhorar a aprendizagem dos alunos, promovendo o desenvolvimento de competências, habilidades e conhecimentos em cada nível/ano.

A Capacitação dos professores ensino e aprendizagem acontece no Núcleo Tecnológico Educacional que se encontra na Secretaria Municipal de Educação e Cultura que é uma estrutura descentralizada de suporte ao processo de informatização das escolas, auxiliando tanto na incorporação e planejamento da nova tecnologia, quanto no suporte técnico e pedagógico nas escolas municipais.

Na formação continuada de professores, são oferecidos três cursos pelo programa:

Curso 1: Educação digital (60 horas).

Curso 2: Tecnologias na Educação: ensinando e aprendendo com as TIC’s (60 horas).

Curso 3: Elaboração de Projetos (40 horas).

Curso 4: Redes de Aprendizagem (40 horas).

O profissional da área pedagógica deve ter o conhecimento e entendimento de Informática e da compreensão do processo de Informática Educativa formando e capacitando os professores na Tecnologia de Informação e Comunicação. Sistematizar o currículo usando a Ferramenta Tecnológica.

A formadora do programa tem o curso de pedagogia e  especialização em psicopedagogia tendo experiência em sala de aula e coordenação escolar.

A coordenação pedagógica  da escola tem como o objetivo de promover e garantir a qualidade “educação digital” de Informática Educativa no Processo Pedagógico no Ambiente Tecnológico Educacional nas escolas.

Mediante os grandes avanços tecnológicos na sociedade atual é de grande importância a inserção da informática na educação de todos os educandos da Educação Básica do Município. As novas tecnologias podem contribuir para a aquisição da aprendizagem e desenvolvimento do educando bem como da formação continuada do corpo docente.

O uso e controle das tecnologias deve servir ao professor não só em relação à sua atividade de ensino, mas também na sua atividade de pesquisa. E a pesquisa com as novas tecnologias tem características diferentes que estão diretamente ligadas à procura da informação na construção do conhecimento.

A internet e os computadores ligados em rede abriram as portas do mundo para a educação, como ferramenta pedagógica, a informática estimula a pesquisa e incentiva a comunicação. O aluno participa de maneira significativa no processo de ensino e aprendizagem, desenvolvendo a autonomia para o estudo e para a pesquisa, “estudante auto – pesquisador”.

A Informática como ferramenta facilitadora na construção do conhecimento com novas possibilidades de existência, o computador é também entendido como um instrumento de solidariedade cultural e de inserção social.

LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA EDUCACIONAL NAS ESCOLAS

O laboratório de informática Educacional cuja finalidade é a obtenção de competências e habilidades no uso do computador como instrumento de estudo, pesquisa e trabalho. O computador é instrumento poderoso de transmissão de conhecimento e aprendizado. Seu uso pedagógico tem sido cada vez mais incentivado com o advento da internet – uma janela para o mundo. O laboratório de informática Educativa cuja finalidade é a obtenção de competências e habilidades no uso do computador como instrumento de estudo, pesquisa e trabalho.

Atuação das aulas curriculares ministradas pelo professor de turma será ampliada no laboratório de Informática Educacional. Assim, todo o processo de desenvolvimento da escola tem oportunidade de fortalecer o processo pedagógico.

As aulas no Laboratório de Informática Educacional devem ser planejadas, registradas e desenvolvidas pelo professor regente da turma. Toda mídia pode representar possibilidades pedagógicas desde que as atividades sejam bem planejadas e que esteja muito claro para o professor qual é a sua intenção pedagógica.

Diante do computador, aluno e professor são pesquisadores. O professor procura quais sejam as possibilidades que a máquina apresenta. O aluno procura a solução dos seus problemas e, assim fazendo, constrói ao mesmo tempo concreta, física e mentalmente o próprio pensamento.

O uso do Laboratório de Informática Educativa na educação deve estar inserido numa proposta pedagógica que respeite o contexto sócio-político da realidade, as condições prévias do aluno e a avaliação permanente das aquisições e processos intelectuais, antes, durante e após a utilização do computador.

Assim, o computador deve estar inserido em atividades essenciais, tais como aprender a ler, escrever, compreender textos, pesquisar, entender gráficos, contar, desenvolver noções espaciais e, etc. Enfim fortalecer o processo pedagógico. E, nesse sentido, a Informática na escola passa a ser parte da resposta a questões ligadas à cidadania”.

A integração do computador ao processo educacional é uma exigência do mundo atual. Refletir essa posição implica rever as relações da escola com a sociedade, incluir a informática no projeto político pedagógico na escola e acima de tudo pensar a escola como ponto de tecnológicas para o mundo moderno.

A aprendizagem ocorre por meio da mediação entre o aluno (sujeito) e o conhecimento (objeto). Essa mediação é efetuada pelo professor, que domina os conteúdos científicos a serem transmitidos, utilizando-se de instrumentos sociais e da linguagem.

O planejamento é uma prática educativa onde cada profissional realiza uma atividade de natureza reflexivo-organizativa de seu próprio processo de trabalho.

Em tal perspectiva, o sujeito não é ativo, nem passivo, mas interativo. Sua atividade passa a ser considerada, não no isolamento das relações do sujeito com o mundo físico, mas nas interações mediadas pelos signos culturalmente construídos nas interações sociais.

A integração do computador ao processo educacional é uma exigência do mundo atual. Refletir essa posição implica rever as relações da escola com a sociedade, incluir a informática no projeto político pedagógico na escola e acima de tudo pensar a escola como ponto de tecnológicas para o mundo moderno.

O uso da informática em educação deve estar inserido numa proposta pedagógica que respeite o contexto sócio-político da realidade brasileira, as condições prévias do aluno e a avaliação permanente das aquisições e processos intelectuais, antes, durante e após a utilização do computador.

O conhecimento ideal é aquele que o transforma em um “cidadão do mundo”. No entanto, para que isso aconteça, o papel do professor deve ser a de um “facilitador de aprendizagem”, aquele que provoca no aluno um estímulo que o faça aprender a aprender.

Efetivar os recursos tecnológicos quanto a importância das redes sociais digitais, destacando-se como recurso pedagógico, no sentido de favorecer uma aprendizado crítico e participativo.

Os recursos tecnológicos estão permeando as atividades humanas, de tal forma que podemos nos informar, divertir, trabalhar, estudar, realizar compras, efetuar pagamentos e nos relacionar com pessoas independente da distância geográfica que existir, utilizando os recursos de informação e comunicação propiciado pela internet, criando dessa forma uma rede de relacionamento denominada rede digital.

O uso comum de ferramentas educacionais na educação como a internet ajuda o aluno a desenvolver o ato de leitura mesmo que seja leitura on-line, que de certa forma ajuda no aprendizado do aluno. “Outro saber de que não posso duvidar um momento sequer na minha prática educativo-crítica é o de que, como experiência especificadamente humana, a educação é uma forma de intervenção no mundo.” (FREIRE,1997, p.61).

Turmas 2015

Introdução à Educação Digital

Este slideshow necessita de JavaScript.

>Turmas 2014

Tecnologias da informação e comunicação

Este slideshow necessita de JavaScript.

>Turmas 2013:

Introdução à Educação Digital

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Turmas 2012:

Introdução à Educação Digital

Este slideshow necessita de JavaScript.

>Turmas 2011:

Introdução à Educação Digital

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Nuvem de tags